Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página

Artigo Marcelo Buz: Certificado digital e o futuro

Publicado: Quinta, 13 de Junho de 2019, 11h46 | Última atualização em Quarta, 10 de Julho de 2019, 13h34 | Acessos: 20

O diretor-presidente do ITI, Marcelo Buz, assina artigo sobre futuro da certificação digital no jornal Zero Hora desta quinta-feira (13). Leia a íntegra.

MARCELO BUZ Diretor-presidente do Instituto Nacional de Tecnologia da Informação (ITI) O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

 

Zero Hora ArtigoMB 13junho2019

O futuro é digital, e a experiência em transações eletrônicas assinadas com certificado digital, irreversível. Esse cenário alterou o uso do certificado digital exclusivamente como exigência do governo ao prestar informações fiscais. Hoje, os certificados digitais já estão na emissão de notas fiscais eletrônicas, no peticionamento de processos judiciais e até no registro de prontuários médicos.

São mais de 26 milhões de certificados emitidos, cerca de 8 milhões ativos no padrão da Infraestrutu-ra de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil ao longo dos 18 anos do Instituto Nacional de Tecnologia da Informação (ITI), autarquia federal que opera a cadeia de emissão.

O certificado digital faz a diferença para o cidadão! É possível conferir a um contrato assinado digital-mente com certificado ICP-Brasil a mesma validade jurídica de um documento em papel assinado e com firma reconhecida. Tudo isso, sem deslocamento a um local físico e sem filas.

A certificação digital é importante ferramenta para garantir autenticidade, não repúdio, integridade e confiabilidade, culminando em plena validade jurídica dos atos praticados digitalmente. Aspectos essenciais quando se fala em transformação cibernética. Em janeiro, assumi a presidência do ITI com o objetivo de identificar oportunidades e trabalhar em parceria com os players do setor. Pela primeira vez, as autoridades cer-tificadoras foram convidadas a discutir o aperfeiçoamento dos normativos para que o Brasil coloque os dois pés no mundo digital com ainda mais segurança.

E preciso transformar o certificado digital em solução e não empecilho na digitalização do país. O futuro é massificar o uso, tendo como meta o censo populacional e a significativa redução do preço, um dos entraves para ampliar a comercialização.

Vários projetos em andamento impactarão a sociedade e colaborarão para reduzir o custo Brasil. A nova visão do ITI corrobora com o desafio de digitalização e desburocratização assumido pelo governo Bolsonaro.

O reflexo, no entanto, ultrapassa as fronteiras. Buscamos o reconhecimento da ICP-Brasil no mundo. O trabalho é árduo e proporcional à disposição para enfrentar os desafios da gestão pública contemporânea.

 

registrado em: ,
Fim do conteúdo da página