Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página

Servidores do ITI passam por treinamento de gestão de processos

Publicado: Quarta, 06 de Dezembro de 2017, 18h26 | Última atualização em Quarta, 06 de Dezembro de 2017, 18h33 | Acessos: 20

A otimização na gestão de processos é uma importante ação dentro de empresas e instituições, possibilitando maior organização, padronização e, por consequência, ganho em agilidade nas diversas atividades desenvolvidas. Com foco na otimização, o Instituto Nacional de Tecnologia da Informação – ITI, realizou, na semana passada, um curso de “gestão de processos” para servidores de diversas áreas do Instituto que contou com a colaboração da Caixa Econômica Federal.

Ministrado por instrutores da Caixa Econômica, a capacitação foi realizada em três tardes e reuniu servidores de todos os setores do ITI, que foram instruídos sobre melhores práticas em gestão de processos por meio da metodologia BPM, que tem foco na melhoria da gestão por meio do controle e mapeamento dos métodos utilizados.

“O curso nos apontou um método a ser seguido, primeiro o mapeamento do processo, em seguida a análise para apontar as melhorias necessárias, o encaminhamento das propostas para aprovação da diretoria e por fim a aplicação das melhorias”, explicou o assessor técnico do ITI, Ruy Ramos, que também destacou o processo de documentação de todos esses passos. “Assim, temos o histórico de tudo que acontece, facilitando o resgate de informações e a padronização dos processos na autarquia”, avaliou Ramos.

Com a capacitação, espera-se que o Instituto alcance mais eficiência, maior qualidade na tomada de decisões e mais produtividade. “Com a gestão padronizada, cortaremos custos desnecessários, gerando economia para a Administração Pública e também poderemos responder com mais agilidade e qualidade às solicitações encaminhadas pelo público externo à autarquia”, afirmou o coordenador-geral de Planejamento, Orçamento e Administração – CGPOA do ITI, Ronoilton Gonçalves.

Agora, a expectativa e dar continuidade aos processos aprendidos, com o estabelecimento de um projeto-piloto no âmbito da autarquia e, após o período de adaptação, tornar a atividade permanente em todas as rotinas Instituto.

Fim do conteúdo da página